Ai Portugal Portugal

A prova de que este país não existe! (Ideias para spartacusdoprazer@iol.pt)

Thursday, July 01, 2004

 

Durão

A forma como se faz política nos dias que correm, não passa de uma enorme teia de interesses económicos e ambição pessoal. Já se sabia. Os EUA invadem o Iraque porque....sim! Porque existem coisas que a mãe natureza lá pôs e que na óptica de Bush estão mal alocadas. O Tribunal de Haia existe com meia dúzia de réus e com a sombra de nenhum soldado americano poder ser lá julgado. No plano interno temos Ministros com contas não declaradas na Suíça e uma Ministra das Finanças que se esquece de pagar impostos. Agora, temos um Primeiro- Ministro que se apercebeu que a política escolhida não tem viabilidade, muito menos, aceitação. À derrocada nas eleições europeias responde com ... o abandono! Se ontem se gabava de ser o único primeiro Ministro europeu a apoiar um candidato da oposição para a presidência da Comissão europeia (António Vitorino), hoje fala inglês e francês para a imprensa estrangeira e não consegue disfarçar o entusiasmo infantil de quem tem um brinquedo novo. A opção pela Comissão europeia em detrimento dos compromissos que assumiu perante Portugal não passa de um exercício de cobardia política cujos contornos serão (infelizmente) esquecidos com o tempo. Incomportável para mim: Durão sobe ao poder com uma coligação em quem os portugueses não votaram, abandona o poder ao ritmo da sua ambição pessoal e, não tenho dúvidas, ainda voltará para Portugal para regressar à política activa. Por essa altura já será acarinhado novamente, tudo estará esquecido e perdoado.
posted by spartacus  # 11:59 AM
 

FINALMENTE!!!

Finalmente Portugal apresenta uma selecção digna dos seus pergaminhos, da sua história, cultura, acima de tudo, do seu povo. Foram anos de vitórias morais, 3 gerações que conheciam de cor os resultados dos magriços. Vivíamos os 3ºs lugares como vitórias. Nunca mais, mesmo que percamos a final somos vencedores, entramos em campo com atitude. Scollari e os veteranos exibiram o pior que podia acontecer no jogo contra a Grécia. Um jogo miserável, sem colectivo nem vontade. Estrelas cujos egos fazem esquecer a responsabilidade que sobre eles impende. Uma bofetada, o país perdeu em 90 minutos o entusiasmo que tinha acumulado durante 4 anos. Scollari apercebe-se, talvez pela primeira vez, que tem de dar ouvidos a outras pessoas se quer manter o emprego. A mudança è radical; saem Rui Jorge (fora de forma há perlo menos um ano), Fernando Couto (aos 35 anos vira as costas aos remates adversários), Paulo Ferreira (sem confiança), Rui Costa (muito lento), entram Miguel, e os campeões europeus Ricardo Carvalho (magnífico), Nuno Valente e Deco (não é português e não o aprovo, mas negar a sua importância seria pura burrice). Scollari cedeu, e deve por isso ser louvado, mas arrastou a selecção para dois dos piores anos da sua história desportiva. Aprendeu e colheu ensinamentos. Os resultado estão à vista. Palavra ainda para o português: sempre emotivo, inabalável, foi a espinha desta selecção, apoiou até a voz doer, apoiará sempre. Não é por acaso que o jornal "o jogo" colocou os adeptos português como uma de três causas possíveis para o sucesso desta equipa portuguesa. VIVA PORTUGAL!!!
posted by spartacus  # 11:18 AM

Tuesday, June 15, 2004

 

Felipão!!!

Será que sou assim tão inteligente que só eu è que vejo que aquilo a que nós chamamos Selecção nacional è um circo desde que o mico do brasileiro chegou? Primeiro afasta da equipa o João Pinto e....o Vítor Baía (que por acaso em dois de Scollari ganhou 2 campeonatos, uma Taça, uma Taça UEFA e uma Liga dos campeões). Depois chamou o alentejano de gema do Deco para jogar à bola conosco contra a vontade de boa parte dos portugueses e de alguns jogadores (até o Figo já começa a quebrar nas conferências de imprensa). Em terceiro, perdeu 2 vezes com a Itália, e empatou e perdeu com todas as equipas que estão presentes no Europeu. È antipático, o futebol que Portugal pratica è individualista, inconsequente, feio, preguiçoso, conformista, e irritante. O nosso futuro è ter uma prestação miserável e pior, não è por falta de talento, isso os nossos jogadores têm a potes, o que não há è equipa. Parece-me que no fim do EURO vamos ter de volta o discurso do amigo Madaíl quando fomos humilhados no último mundial: Culpado euuuuuu? Eu nãaaaao, o seleccionador è que escolhe as equiiiipas, eu sou só o responsável máaaaaaaaaximo do futebol, pelo que vou recandidataaaaaaaaar-me.
posted by spartacus  # 1:02 PM
 

Cartão azul!

No meio da semântica futebolística aplicada de forma extenuante na política, ao passo que o PS pedia o cartão amarelo ao governo nas recentes Eleições europeias, a CDU pedia o cartão vermelho. Em relação a estes últimos, parece que percebem tanto de desporto como de política, já que afirmaram que não vão pedir moções de censura ou eleições antecipadas (Então para que é que querem dar um cartão vermelho?!). Quanto aquilo que importa, verificou-se a esperada vitória do PS em Portugal, e bem assim de toda a esquerda. Importa chamar à colação a, quanto a mim previsível, subida de simpatia dos votantes pelo PS devido ao infortúnio do seu cabeça de lista. Sabiamente e com sensibilidade notável, o PS soube respeitar o homem, a sua obra e família. Com isso lucrou, ainda que por motivos tão funestos.
Quanto ao PSD começou a contagem decrescente, ou começa a demonstrar idoneidade política, humildade, coerência e sobretudo capacidade para governar, ou então, GRAÇAS A DEUS já só faltam 2 anitos p as legislativas....

posted by spartacus  # 12:52 PM

Saturday, May 22, 2004

 

Medley

Esta semana o pessoal clínico da maior maternidade do país, a Alfredo da Costa, entrou em greve exigindo do Governo melhores equipamentos e mais pessoal qualificado (nomeadamente obstetras), já que todo o corpo médico trabalha duas e três vezes mais do que era suposto com a subsequente deterioração da qualidade do seviço prestado. O Ministro da Saúde Luís Filipe Pereira já disse que não vai atender ás reivindicações por as considerar ....políticas (!) O Ministro das cidades do ordenamento do território e do ambiente Amílcar Theias foi demitido de urgência às 0h00 do dia 20 de Maio. Longe de ser um Ministro querido(lembram-se do episódio em que culpabilizou os ex-combatentes pela vaga de incêndios do ano passado?), a verdade è que a demissão só se concretizou quando o agora ex-Ministro mostrou a sua intenção de demitir o Presidente da administração das Águas de Portugal, Luís Machado, que não tinha sido escolhido por si, nem recolhia a sua confiança. O único problema è que o Luís Machado è uma personagem poderosa no PSD, e o Ministro pisou os calos errados. A Ministra das Finanças Manuela Ferreira Leite esdqueceu-se de declarar 3000 contos de mais valias obtidas com a venda de uma casa. Quando questionada sobre o assunto referiu ao jornalista que: "O senhor mesmo, que está a fazer a pergunta, provavelmente, se verificar, talvez tenha algum champô no meio dos remédios que declarou.". Não percebi se a Ministra estava a ensinar um truque para fugir aos impostos se a insunuar que è tão vulgar fazê-lo, que até a Ministra tem direito. Ainda na pasta das finanças, foi contratado um novo director geral dos impostos, sob o eufemístico e pomposo regime de requisição com o vencimento de origem. Esse indivíduo receberá cerca de 25 mil euros mensais, não porque não haja dezenas de pessoas qualificadas para o lugar, mas simplesmente porque a Ministra das Finanças entendeu que era melhor ir buscar uma pessoa aos quadros do Millenium BCP. Para manter a política de redução da despesa pública acrescento eu. Finalmente, o Tribunal de Contas elaborou um relatório em que basicamente traçava um panorama de horror terceiro mundista das derrapagens na construção dos estádios que redundaram no sobre endividamento das Autarquias. Resultado, não nos limitámos a construir estádios a mais, fizemo-lo com muitas asneiras que agora todos vamos pagar. Mas não se preocupem demais, porque apesar de o Tribunal de contas ter especialistas para fazer auditorias, sindicâncias, apuramentos contabilísticas e todas as operações financeiras conhecidas ao homem, o Ministro adjunto José Luís Arnaut já veio negar que haja derrapagens. È tudo o que importa, não è?
posted by spartacus  # 11:10 AM

Sunday, May 16, 2004

 

Carlyle II

Mas pronto, isso só chateava se fossemos pobres, agora sendo Portugal a segunda principal potência da Península Ibérica tudo bem, a malta dá o dinheiro das pensões para os EUA comprarem petróleo português.
O Dr. Durão ficou estarrecido com as declarações do Deputado Francisco Louçã, e acusou-o de mentiroso com todas as letras.....a não ser que apresentasse provas. Chama-se a isto tiro no pé.
O PS levantou a sobrancelha e começou a investigar a questão, como parece que chegou às mesmas conclusões do Bloco de esquerda, exigiu a presença do Ministro da Economia, Carlos Tavares, no plenário para prestar esclarecimentos. Conclusão, a bancada parlamentar já recusou apresentar o Ministro da Economia e diz que não quer ouvir falar mais do assunto....
posted by spartacus  # 5:06 AM
 

Carlyle I

Há duas semanas atrás, o Deputado do BE Francisco Louçã, interveio no plenário para denunciar o aparente favorecimento da mega multinacional americana Carlyle na cada vez mais próxima privatização da GALP. A despeito da questão dos sucessivos governos portugueses alienarem património nacional afastando do nosso país as principais fontes de riqueza e claro, colocando nas mãos de capitais estrangeiros os centros de decisão em sectores chave, Francisco Louçã nem por isso tocou nesses aspecto particular. A principal característica da sua intervenção disse respeito às ligações perigosas do partido do governo com esta empresa, senão vejamos: O antigo Ministro dos negócios estrangeiros (aquele que acha que tem o direito de por a filha na Universidade pública de medicina porque sim) já arranjou emprego. Parece que enviou o curriculum vitae para a Carlyle e arranjaram-lhe um empregozito como Administrador; Os principais accionistas da empresa são uns americanos quaisquer de apelido....Bush, aqueles ao lado de quem o Dr. Durão parece ter problemas de coluna pois anda sempre curvado. Mas, o principal problema envolve o financiamento da compra de acções da Galp que seria possibilitado por capitais da Caixa Geral de depósitos, isso mesmo, o banco do Estado. Assim, com capitais portugueses, uma empresa estrangeira poderá levar uma fatia de uma empresa portuguesa, e ainda ganhar muito dinheiro com isso.
posted by spartacus  # 5:05 AM

Thursday, May 13, 2004

 

Partido Nova Democracia

Eu que à cerca de uma década defendia em público, pondo em causa a minha própria reputação, que Manuel Monteiro era um político com visão, sinto-me humilhado.
Tudo começou com a atitude desesperada de Manuel Monteiro para regressar à liderança do CDS-PP, passou pela criação deste novo partido político sem ideologia, e culminou no hilariante www.digaomanel.com.
É normal que a Nova Democracia tenha um sítio na internet, todos os partidos têm um, o que começa por fugir à normalidade é o endereço da página, comecei logo a pensar no que dizer ao Manel quando vi a publicidade na rua, mas mais maravilhado fiquei quando vi a página em questão.
A ideia consiste numa varição da carta ao Pai Natal, nos dizemos ao Manel o que queremos que mude, e logo o nosso paladino trata de tornar os nossos sonhos realidade.
Na página existe ainda uma sugestão surreal, "Prescinda de uma ida ao cinema e contribua para a mudança". Eu digo ao Manel que não só vou deixar de ir ao cinema como vou deixar de alugar filmes de vídeo e mesmo de pagar a mensalidade da televisão por cabo, para contribuir para a mudança. E se não for suficiente para que a mudança se realize estou mesmo disposto a deixar de comer.
Foi no entanto com tristeza que descobri que 50% das pessoas não gostavam do sítio, é triste ver que os portugueses não têm sentido de humor e não sabem aproveitar estas pérolas da vida política portuguesa.
Eu digo ao Manel, deixa-te disso.

posted by O Estofador  # 4:23 AM

Monday, May 10, 2004

 

David Justino II

Mas não se inquietem os menos compreensivos, pois o Ministério disponibilizou um formulário para as pessoas reclamarem. A chatice è que o formulário não têm campos suficientes para assinalar todas as alarvidades e erros de que o Ministério è culpado, forçando os professores a escrever cartas de protesto. O Ministro David Justino só pediu desculpa por este momento espirituoso vários dias depois dos protestos, não assumiu culpas políticas e, mais do que isso, recusou-se a comentar o assunto para os jornais, enquanto punha a batata quente nas mãos do Secretário de Estado da Educação. Este, diligentemente, reuniu com os sindicatos e assumiu as culpas de todos os erros e disparidades prometendo novas listas e extensão dos prazos de reclamação. Porém, o mesmo Secretário de Estado há alguns meses atrás tinha convocado os jornalistas para apresentar o novo sistema informático de 600 mil euros que iria reduzir ao mínimo a margem de erros. A paixão da educação já era.
posted by spartacus  # 11:47 AM

Saturday, May 08, 2004

 

David Justino

Todos os anos, os Professores candidatam-se aos concursos para obter colocação nas escassas, mal estruturadas, mal conservadas, mal equipadas, e quase vazias escolas por esse Portugal fora (já agora, sabiam que há muitos professores que não têm sequer licenciatura?). Este ano aconteceu uma coisa curiosa no concurso para educadores de infância e profs do ensino básico e secundário: o Ministério da Educação conseguiu cometer erros muito giros em 30.000 Processos de candidatura. Para já, milhares de professores foram erradamente excluídos à partida por falta de habilitações (embora as tivessem), por falta de tempo de serviço (que por acaso até tinham), ou porque tiveram má nota (quando na verdade até tinham tido boa). Depois há aquele episódio igualmente humorístico de se ter afastado do concurso todos os professores oriundos dos Açores e da Madeira. Sem conceder, há ainda aquela história engraçadíssima sobre os verbetes (espécie de recibo com os elementos da candidatura), que têm dados completamente diferentes dos que os professores inscreveram na candidatura.


posted by spartacus  # 9:14 AM
 

Miséria Mental III

E mais? E mais? Pergunta o leitor, ávido de mais frases inteligentes. Calma, respondo eu! Não julguem que o Alberto è um vulgar ditador que não ouve nada nem ninguém. E só para ilustrar, também vos direi que è o próprio quem diz que existe uma outra opção ao seu programa político. Num invulgar exercício de modéstia, o líder do governo regional apresenta, por um lado o seu projecto, que afirma: "decide o desenvolvimento integral para o povo madeirense", mas por outro lado, também oferece a alternativa e que è: "o caos em que podem nos fazer mergulhar os partidos da oposição regional, uma vitrina para tarados complexados ou frustrados conseguirem a visibilidade patologicamente pretendida, ao ponto de servirem de instrumentos de fogo sobre o PSD-Madeira por parte de sinistros grupos económicos vindos de um passado de má memória."....ISSO NÃO! Deus queira que ele seja reeleito.
posted by spartacus  # 9:13 AM
 

Miséria Mental II

Que soluções avança o iluminado Político para que Lisboa para de uma vez por todas de se armar em capital do país? Na sua opinião visionária, basta que deixe de haver "restrições
constitucionais", "provincianismos incultos" e "atitudes corporativistas". Mas....pergunta você e muito bem, e se o Governo português discordar das posições cessionistas do Presidente da Madeira? Não se preocupe o estimado leitor, pois o Jardim do Atlântico avança desde logo a solução para esse problema. Nesse caso, "a manter-se a sua imposição que repudiamos", promoverá junto dos congressistas laranja "a sua denúncia nas Instituições internacionais reconhecidas pelo direito internacional" ao que se apresta a acrescentar, não sem uma ponta de patriotismo latente: "sempre dentro do quadro de unidade nacional". MAI NADA!!! Ou bem que lhe damos toda a liberdade política para ele poder desenvolver a "Madeira nova" e continuamos a dar dinheiro para ele se poder "europeizar", ou vai fazer queixinhas à União Europeia denunciando Portugal como parte do eixo do mal. Paredes meias com um enorme espírito patriótico, bem entendido.
posted by spartacus  # 9:11 AM
 

Miséria Mental I

Com a Democracia veio a liberdade, a paz, e todo um conjunto de direitos básicos que norteiam a expressão de qualquer cultura moderna. Todavia, com a Democracia veio também o Alberto João Jardim. Longe de lhe retirar o mérito de toda uma obra feita ao longo dos anos (como se sabe, o Alberto João foi eleito algures no Século IV a.c.), este distinto político tem, porém, colorido as nossas vidas com sucessivos comentários de uma polidez capaz de fazer inveja ao mais acutilante dos trabalhadores da construção civil. Recentemente, o Presidente do Governo Regional da Madeira veio apresentar uma moção, que deverá exibir no próximo Congresso nacional do PSD, e que visa lançar entre as hostes a ideia de que o seu trabalho è merecedor dos mais rasgados elogios. Nesta moção, o Dr. Alberto João diz que: "transformou a Madeira velha feudalizada numa Madeira nova autónoma, democrática, civilizada, moderna, europeizada.", e que tem imensa pena de ter sido impedido de chegar mais longe, mas que isso se deve "aos obstáculos institucionais com que posicionamentos colonialistas, a partir de Lisboa, sabotam o querer do povo madeirense.". Não há direito digo-vos eu. Temos de mudar a nossa posição de chefes feudais e dar ao povo madeirense, e em particular ao seu chefe tribal, toda a liberdade que ele necessita para crescer. Eu digo liberdade, porque dinheiro já ele vê a rodos, ou não fosse uma percentagem pornográfica do Orçamento de Estado destinado à "Madeira nova".
posted by spartacus  # 9:08 AM

Archives

04/01/2004 - 05/01/2004   05/01/2004 - 06/01/2004   06/01/2004 - 07/01/2004   07/01/2004 - 08/01/2004  

This page is powered by Blogger. Isn't yours?